AD (728x90)

domingo, 21 de dezembro de 2008

A lenda de Katie King!

Katie King? Quem foi ela?
Katie King era o suposto espírito que se manifestou em fins do século XIX através da médium Florence Cook, então uma jovem atraente de apenas quinze anos de idade. O mais impressionante é que, através de Cook, King podia se 'materializar' em vários graus, culminando com materializações de corpo inteiro. Katie King era um espírito que não só podia ser fotografado, como era capaz de andar, tocar pessoas, e ser tocado por elas.

Ela era a única capaz disto?
Na verdade, não. Muitos outros médiuns contemporâneos alegavam poder fazer espíritos materializarem-se de forma mais sólida em suas sessões. Freqüentemente eram desmascarados, chegando ao ridículo de andar de joelhos para se passar por espíritos materializados de crianças. A médium Florence Cook e seu espírito canalizado Katie King entraram para a história principalmente porque Cook procurou o respeitado cientista William Crookes, que realizou então uma série de investigações e declarou a autenticidade da manifestação física do espírito de King.

Quem era William Crookes?
Crookes era um cientista que se interessou por pesquisar o espiritualismo, supostamente de forma científica, crítica. Encontrou muitas fraudes, mas também teria descoberto e declarado muitos casos autênticos, como o de Daniel Home e o próprio caso de Florence Cook e Katie King. Crookes presidiu a Society for Psychical Resarch, mas depois de um tempo deixou as investigações de espíritos de lado. Seus experimentos posteriores com tubos de vácuo seriam decisivos na criação do tubo de raios catódicos, e Crookes também descobriu um elemento químico, o tálio. Ele também foi noemado Sir, e chegou a presidir aRoyal Society. Mas antes de morrer voltou a declarar seu endosso e nenhum arrependimento das pesquisas, alegações e conclusões que havia realizado sobre os espíritos.

Como foram as investigações de Crookes? Quais as evidências mais sólidas delas?
De todas as elaboradas investigações de Crookes, sobre as quais só temos seus próprios relatos e conclusões, ainda que com outras testemunhas, as evidências mais sólidas que restam acabam sendo as fotos tiradas de Katie King e Florence Cook. Infelizmente, elas mostram como o suposto espírito Katie era idêntico à própria médium Cook.

Como?
Abaixo você pode ver imagens comparando o rosto do espírito Katie King, sempre vestida de branco, com o de Florence Cook, sempre de preto.

A semelhança óbvia entre King e Cook havia sido notada por muitos, mesmo antes das investigações de Crookes. A conclusão sensata era que Cook estava simplesmente se vestindo de branco e se passando por um espírito. Daí porque Crookes passou logo a se centrar em demonstrar que 1- Todos em uma sessão estavam identificados (ninguém poderia entrar e se passar por um espírito), e 2- Que o espírito Katie King não era Florence Cook (e nem qualquer outra pessoa presente).

Crookes conseguiu provar que King não era Cook (mal) disfarçada?
O cientista realizou inúmeros testes elaborados. Amarrar a médium Cook para impedir que saísse de branco era o padrão, mas para sanar qualquer dúvida fios elétricos foram amarrados na médium, que não poderia retirá-los sem que isso fosse registrado em um grande indicador visível a todos. Ao mesmo tempo, quando ainda assim o espírito de Katie King se materializou, pediu-se que colocasse a mão em uma subtância salina -- se fosse Cook, com os fios amrrados ao corpo, isto também seria detectado. Mas não foi.
Some-se a isso inúmeros relatos do próprio cientista de ter visto claramente Cook e King ao mesmo tempo, bem como o de outras pessoas, e o fato de, apesar de certas semelhanças físicas, também haver relatos de diferenças.
No entanto, todas estas evidências são postas em dúvida, em parte porque as diferenças muito relatadas também não foram bem registradas nas fotos que restaram, mas principalmente por uma implicação um tanto sórdida. 

Detalhes sórdidos?
Por algum motivo, Crookes não hesitou muito em falar da beleza de Katie King. Mais de um crítico contemporâneo sugeriu que Crookes estava envolvido de forma íntima com a jovem Florence Cook, se passando ou não pelo espírito Katie King. Dado que Crookes era muito mais velho, casado, com filhos e que as experiências e a suposta relação tinham lugar na própria casa de Crookes, onde também estava sua mulher grávida, tudo adquire um ar de acusação baixa de céticos desprezíveis.

Acusações baixas?
Embora ninguém tenha provado que Crookes se envolveu de forma íntima com Cook/King, a possibilidade deve sim ser considerada seriamente. Florence Cook começou a apresentar supostos dons mediúnicos em sessões realizadas em sua casa, apoiadas por sua própria mãe. Logo ela pôde realizar feitos incríveis, como levitar, e curiosamente em pelo menos uma destas sessões "mãos invisíveis" retiraram toda sua roupa em frente a todos. Depois disto, a preocupada mãe quis limitar os feitos apenas à família, mas King passou a materializar espíritos -- de início, apenas materializando rostos que apareciam em um buraco num gabinete. Já então, os rostos materializados por Cook se pareciam estranhamente com ela mesma. Outro detalhe curioso é que a irmã de Florence também se tornou uma médium.
O espírito de King deixava ser tocado, e tocava as pessoas, sentando em seus colos. Também se deixava ser examinado, contanto que as pessoas fossem gentis e cuidadosas. Em pelo menos um relato (citado por crédulos porque apóia a autenticidade do caso) também se conta como King ficou completamente nua em frente a Florence Marryat, e disse "Agora você pode ver que eu sou uma mulher". A idéia era mostrar que o espírito era sólido e perfeitamente formado, mas ainda que tenha sido em frente a uma mulher, o tom erótico de espíritos que se despem é evidente mesmo a quem não seja malicioso. E se Cook já havia sido despida por "mãos invisíveis" em sessões anteriores, na presença não só de mulheres, o erotismo de todo o caso torna-se relevante. 

Crookes realmente se relacionou com Cook e mentiu sobre seus resultados e pesquisas?
Outra vez, é difícil realmente saber. Mas a fraude de Cook teria sido exposta pelo menos duas vezes. A primeira, foi mesmo antes dela contatar Crookes. William Volckman estava assistindo uma sessão e resolveu agarrar o espírito de Katie King para mostrar que era na verdade apenas Florence Cook. Mas dois homens, um deles o noivo de Cook, logo foram salvá-la. Eles afirmaram que o espírito de King despareceu então no ar. Volckman disse que King/Cook foi solta à força de suas mãos, e que ela teria mesmo machucado seu nariz (que espírito!). Como Volckman depois se casou com uma médium rival, seu testemunho não foi muito considerado, embora o caso tivesse abalado a credibilidade de Cook. Logo depois, ela iria então procurar Crookes para uma validação.
As investigações de Crookes com King tiveram um fim quando o espírito declarou que deveria partir. Isso curiosamente ocorreu pouco depois que Florence Cook, a médium, se casou. A suposta despedida de King de Florence, presenciada por Crookes, é comovente. Mas é também muito questionada. A despedida, ao que parece, era na verdade entre King/Cook e Crookes.
Algum tempo depois que King havia partido, e portanto Crookes já não investigava mais King/Cook, Florence Cook passou a materializar outro espírito! Que também se parecia muito com ela!
E com este outro espírito ("Marie") Cook não teve muita sorte. Em uma sessão, Sir George Sitwell fez o mesmo que Volckman anos antes: intrigado com a semelhança, simplesmente agarrou o "espírito". Desta vez, ninguém foi em sua ajuda, e previsivelmente, ela tampouco desapareceu no ar. O espírito Marie mostrou ser definitivamente a própria Cook, indicativamente vestida apenas com roupas íntimas.

E então? Cook era uma fraude e Crookes também?
Há pouca dúvida razoável sobre o fato de que Cook era uma fraude. As fotos que temos mostram que King e Cook não só eram parecidas, como idênticas. Se elas realmente apareceram diferentes em ocasiões, tudo que há neste sentido são testemunhos, e testemunhos também há sobre fraude. Contudo, se se aceita que Cook era uma fraude, no mínimo Crookes foi enganado. No médio, participou da fraude por algum motivo. No máximo, foi porque se envolveu com ela.
Vale dizer outra vez que o envolvimento íntimo de Crookes não é uma certeza. Só temos de certo as palavras românticas do cientista sobre ela, os tons eróticos das sessões e a estranheza de que Crookes nunca tenha relatado nenhum indício de fraude, quando sabemos que ela ocorria pelo menos por vezes. Em ciência, isso não é suficiente para condená-lo. Mas já daria uma boa novela.

Anexo (para aqueles que querem mais detalhes sobre o caso)

- - -

Para saber mais:
- Florence Cook & The Enigmatic Katie King - Um bom apanhado do caso, de um site hostil a céticos que ainda assim duvida do caso de Cook.
- Independent Testimony as to the Mediumship of Florence Cook - trecho do depoimento de Florence Marryat, onde ela conta o episódio onde King ficou nua e lhe mostrou que era uma mulher, entre outros eventos pitorescos.
- Story of Florence Cook - Trecho do livro de Nandor Fodor sobre o caso.
- A Lawyer Defends Sir William Crookes - Zammit faz sua defesa veemente de Crookes.
- The Mediumship of Florence Cook

Written by

We are Creative Blogger Theme Wavers which provides user friendly, effective and easy to use themes. Each support has free and providing HD support screen casting.

0 comentários:

Total de visualizações

 
Powered by Blogger