AD (728x90)

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

TOP 5: Filmes GORE!

Pra quem não sabe, filmes gore são filmes que tem um uso absurdo de sangue!Aqueles que são ultra violentos mesmo!

5 – A Volta dos Mortos-Vivos (The Return of the Living Dead – EUA – 1985)

Do que se trata: Filmes de zumbis detonam. Desde que George Romero rodou A Noite dos Mortos-Vivos em 1968, inventando o gênero, muitos tentaram copiá-lo e poucos conseguiram o mesmo sucesso. Dan O’Bannon, o roteirista de Alien – O 8º Passageiro, encontrou um outro jeito de seguir os passos do mestre Romero, o humor.

Alguns paspalhos de um armazém de suprimentos médicos liberam por acidente um gás no ar, que reanima os mortos em uma cidadezinha. Despertos, os zumbis partem numa busca incessante para matar sua fome com... sim, isso mesmo... Miolos! (por sinal, uma das palavras de ordem aqui na redação do DELFOS).

Este é o filme clássico onde os mortos-vivos andam por aí falando “miolos, miolos”, como um bando de retardados (mas isso apenas na dublagem em português. Em inglês eles falam “brains, brains” como um bando de retardados). Trata-se de uma divertida homenagem à, até a época, trilogia dos mortos de George Romero (agora uma quadrilogia, com o recente e tremendão Terra dos Mortos).

O que esperar: Muitos corpos em decomposição andando por aí, mordidas de arrancar pedaço e, óbvio, muitos miolos à mostra.

Nível de nojeira: Baixo. Como se trata de uma comédia de terror, é tudo tão exagerado que dá para assistir numa boa.

4 – Evil Dead II (idem – EUA – 1987) – Nota: Esta série também é conhecida aqui no Brasil como Uma Noite Alucinante

Do que se trata: Sam Raimi ficou famoso ao dirigir os filmes do Homem-Aranha, mas o que talvez os mais jovens não saibam é que ele já tinha, há tempos, a admiração dos fãs de filmes de horror por conta de sua série Evil Dead, do qual este segundo filme é, sem dúvida, o melhor e mais gore.

Num misto de refilmagem e reimaginação do primeiro filme de 1981, o incomparável Ash (Bruce Campbell) leva sua namorada para uma sinistra cabana na floresta. O que era para ser um fim de semana romântico vira pesadelo quando eles encontram um livro escrito com sangue e encadernado com carne humana e um gravador. Contrariando todas as regras que qualquer pessoa que já assistiu a filmes de terror sabe, eles ligam o gravador, que recita passagens do livro, conjurando espíritos demoníacos que possuem (literalmente) a namoradinha do rapaz e outros incautos que chegam ao local. Cabe a nosso protagonista tremendão limpar a bagunça, matando os possuídos e tentando sobreviver até o amanhecer.

O que esperar: Esquartejamentos, sangue jorrando da paredes, um olho que salta de seu devido lugar para dentro da boca de uma garota, culminando no momento máximo, quando Ash tem uma das brigas mais divertidas do cinema, contra sua própria mão possuída, que acaba decepada por uma serra elétrica. Yeah!

Nível de nojeira: Moderado. Este filme também tem muitos elementos de comédia, inclusive em estilo pastelão, mas o nível de horror não é para qualquer um.

3 – Hellraiser – Renascido do Inferno (Hellraiser – Reino Unido – 1987)

Do que se trata: Stephen King é conhecido como o mestre da literatura de horror, mas esse título deveria pertencer ao inglês Clive Barker. Seus livros são bem mais explícitos e insanos do que os de King. Assim, quando Clive Barker resolveu assumir a direção da adaptação de seu livro The Hellbound Heart para o cinema, qualquer um que já lera uma de suas obras já sabia muito bem o que esperar. Isso aí, Hellraiser tem a cara de papai Barker impressa em cada fotograma (obviamente isto é apenas uma figura de linguagem. Você não vai ver um filme que só mostra o rosto de Clive Barker).

Frank Cotton brinca com um quebra-cabeça místico, a Configuração dos Lamentos (que mais parece um cubo mágico) e, ao resolver o enigma, abre as portas do inferno, sendo tragado para lá por demônios de visual sadomasoquista, os Cenobitas (dos quais Pinhead é o mais conhecido, virando até garoto-propaganda da série).

Algum tempo depois, o irmão do infeliz, sua mulher Julia (que teve um caso com Frank) e sua filha, mudam-se para a casa onde ele foi visto pela última vez e, ao derramar um pouco de sangue no chão do sótão, traz o tio Frank de volta. Só que ele está sem corpo. A solução é arranjar alguns sacrifícios para que ele possa voltar a ficar inteiro. Quem vai cuidar disso é Julia, a esposa infiel do irmão de Frank. Ah, mas os Cenobitas não ficam nada contentes com a escapadela do moço para o mundo dos vivos e, quando sua sobrinha decifra a Configuração dos Lamentos, encontram a oportunidade ideal para tentar trazer o fujão de volta.

O que esperar: Um sujeito sem pele que fica nesse estado quase o filme inteiro, uma maluca que beija o tal sujeito todo gosmento, muito sangue, Cenobitas (que são definidos por Clive Barker como “sadomasoquistas do inferno”) e um despedaçamento humano através de ganchos (essa só vendo pra crer).

Nível de nojeira: Alto. O filme requer estômago forte para seu alto nível de violência. Alunos de medicina, acostumados a aulas de anatomia, não vão encontrar problemas.

2 – O Enigma de Outro Mundo (The Thing – EUA – 1982)

Do que se trata: Pra começo de conversa, de um filme de John “Halloween” Carpenter, um dos diretores mais legais dos EUA. Trata-se também de uma refilmagem de um filme de 1951.

Membros de uma base de pesquisa científica no Pólo Sul encontram uma nave enterrada no gelo. Uma criatura alienígena do tipo parasita vai possuindo os pesquisadores um por um, o que só aumenta o terror e a paranóia, já que é impossível saber quem está infectado. Cabe a Kurt Russel (parceiro habitual dos filmes de Carpenter) a tarefa de liderar o grupo e exterminar a criatura e os possuídos. Uma curiosidade: vinte anos depois de seu lançamento, O Enigma de Outro Mundo recebeu uma versão game para PC, PS2 e Xbox, intitulada criativamente de The Thing.

O que esperar: Este filme está nesta lista não tanto pela quantidade de sangue e tripas apresentadas (em proporções generosas), e mais pelos efeitos especiais absolutamente nojentos e perfeitos até hoje. Quando a criatura se revela, é impossível não sentir um embrulho no estômago.

Nível de nojeira: Bem alto. Recomendo assistir a esse filme de estômago vazio.

1 – Fome Animal (Braindead/Dead Alive – Nova Zelândia – 1992)

Do que se trata: Senhores, temos um campeão! Se você acha que o ponto alto da carreira de Peter Jackson é a trilogia O Senhor dos Anéis é porque ainda não conhece esta obra que está na minha lista dos melhores filmes de todos os tempos.

Na Nova Zelândia dos anos 50, a mãe dominadora do protagonista Lionel é mordida por um macaco-rato da Sumatra (!) e vira zumbi. Ao tentar esconder a situação de sua pretendente Paquita (sim, esse é o nome da coitada) e de seu tio, ele só piora a situação, que logo foge ao controle. Preciso dizer que, em breve, a cidade estará tomada por mortos-vivos?

O que esperar: Prepare-se para o maior banho de sangue que você possivelmente verá em celulóide. Desmembramentos, empalamentos, cabeças e caixas torácicas arrancadas, um intestino zumbi (acredite!) e uma casa cheia de mortos-vivos dizimada com um cortador de grama não dão nem 10% da idéia do que você encontrará nesse festival de tripas.

Nível de nojeira: Incomparável. O campeão absoluto só deve ser assistido por admiradores do gênero, de estômago completamente vazio, e depois de uma longa preparação espiritual. Depois não diga que eu não avisei!

Written by

We are Creative Blogger Theme Wavers which provides user friendly, effective and easy to use themes. Each support has free and providing HD support screen casting.

0 comentários:

Total de visualizações

 
Powered by Blogger