AD (728x90)

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

O Pedaço do Inferno

Olá leitores do Blog! Hoje, mais uma Creepypasta para vocês. Só devo avisar que tem uma foto no final que talvez muitos de vocês não gostem ou achem extremamente bizarra. Pelo menos é o que sinto. A história apenas dá um pouco de sentido à foto.

Mark era um adolescente comum. Um desses numerosos adolescentes metidos-a-corajosos. Mas ele tinha uma coisa de especial: ele vivia dizendo que não tinha medo de nada.

Por isso, muitas vezes era ele que era escolhido pela turma dele para fazer as inúmeras apostas comuns de adolescentes. Apostavam que Mark não conseguiria passar uma noite em uma casa abandonada que ficava em uma floresta atrás do mercadinho. Mark - pelo mais incrível que pareça - sempre voltava e vencia todas as apostas.

Mas não era só disso que Mark vivia. Ele era muito interessado pelo desconhecido, pelo ocultismo e por essas coisas que a maioria das pessoas só vê em filmes de terror.

Era tão engraçado ver os amigos de Mark recusarem inúmeras vezes de entrar no quarto dele: tinha medo de que poderiam ver alguma coisa que não lhes agradasse ou que lhes tirasse o sono. No quarto de Mark onde ele fazia a maior parte das bizarrices dele: ele fazia rituais, via vídeos de satanismo e qualquer coisa que em fóruns comentavam que era algo "muito assustador" ou que "milhares de pessoas perderam as almas vendo isso". Ele pesquisava qualquer coisa que tentasse dar medo em Mark, mas inúmeras vezes nenhum dos vídeos que assistia ou rituais que ele fazia davam medo para ele. Mark se sentia orgulhoso disso.

Se sentia orgulhoso até que o primo de um dos amigos de Mark acabou sabendo das coisas que Mark fazia. O garoto ficou intrigado e tentou dar uma de espertinho quando desafiou Mark,dizendo que era mais corajoso que ele. Mark teria ficado sério e muito frio, convidando o garoto para entrar no quarto dele.

Os amigos de Mark fiaram apreensivos quanto o que poderia acontecer com o garoto lá dentro, então eles ouviram um grito após 5 minutos de silêncio e ouviram o garoto batendo na porta, implorando para sair.

Mark apenas voltou, com uma longa risada. Ele parecia normal, mas o garoto estava pálido.

Depois daquele incidente, Mark tinha conseguido quase que um vício, vendo que o quê tinha feito com aquele garoto não lhe dava medo. Então, começou a pesquisar em fóruns e tópicos do 4Chan e descobriu a "Deepweb". Mark leu que muitas pessoas que usavam a Deepweb acabavam tendo seu sono afetado após ter encontrado coisas sobre pedofilia, canibalismo e fóruns de psicopatas. Porém, aquela só seria a camada mais exterior da Deepweb: ainda teriam muitas outras camadas antes do centro dela.

Mark ao julgar do que a Deepweb continha, deveria ser um de seus maiores desafios tentar chegar ao centro da Deepweb, e que talvez lá ele encontre algo realmente assustador.

Era empolgante para Mark: como ele tinha certas habilidades de computação, ele conseguia acessar fóruns restritos e ler os comentários de psicopatas e de canibais que marcavam a hora para fazerem suas vítimas. O que para muitos poderia parecer amedrontador - e ilegal - era para Mark apenas mais motivos para ele se sentir poderoso.

O pior de tudo era que ele não sentia medo algum.

Aos poucos, ficou tão imerso em sua busca pelo centro da Deepweb que acabou afastando seus amigos. Até mesmo seus familiares acharam que Mark estava estranho, pois só saía do quarto dele quando era jantar e quando tinha que ir para a escola.

Na escola, muitas pessoas que passavam perto dele viam ele escrever símbolos estranhos e desenhar esquemas e espécies de gráficos caóticos e incompreensíveis. Talvez estivesse elaborando uma maneira de conseguir chegar de vez no centro da Deepweb.

O único amigo que ainda restava de Mark era Brad, que ele conhecia desde o jardim de infância. Apenas para Brad que Mark contava sobre suas descobertas. Claro, o amigo dele não era um homem de ferro para conseguir ouvir tudo que Mark dizia sem acabar se sentindo desconfortável.

Na última noite que Brad viu Mark, Mark murmurava uma espécie de código. Coisa que ele fazia para não se esquecer. Ele estava irritadiço e ficava murmurando que era hoje que ele iria ver finalmente o que tinha no centro da Deepweb.

----

Após 2 semanas faltando, Brad é instruído pelo líder da classe a tentar falar com Mark para ele parar de faltar nas aulas, pois era a reta final do ano e logo vinham as provas finais.

Mark chega até a casa de Brad, eram 17 horas. Então Brad teria contornado a casa e entrado pela porta de vidro do quintal que estava aberta. Na casa de Mark não tinha absolutamente ninguém, parecia que todos haviam sumido junto com ele.

Brad continuou andando e notou que na cozinha, todas as gavetas estavam abertas, haviam alguns talheres caídos no chão e as cadeiras da sala estavam todas caídas e desencostadas, como se quem estivesse nelas tivesse se levantado abruptamente.

Brad pensou em subir no quarto de Mark, mas quando chegou na porta, viu ela entre-aberta e com vários papéis no chão. Pareciam as anotações de Mark, sendo que elas poderiam ter sido marcadas com um ferro que parecia ter acabado de ter saído da brasa, muito parecido com aqueles marcadores de cavalos. Só que neles tinham símbolos estranhos. Ainda dava para ler, e Brad notou que aquilo pareciam instruções:

#Carne
#Arroz
#Velas
#Pé-de-cabra
#Vaso
#Giz negro

Brad achou apenas estranho, foi aí que viu em outro papel o possível lugar de onde estaria Mark: a casa abandonada em que ele teria passado uma noite após ter apostado com a turma dele.

Brad foi correndo para lá, pois provavelmente era onde seu amigo estava. Mas Brad ainda tinha medo dentro de si. O que o motivou a continuar foi sua curiosidade. Com certeza, o que Mark tinha de coragem e ousadia era o mesmo tanto que Brad tinha de curiosidade.

Brad finalmente chegara na casa abandonada. O sol já começara a se pôr e Brad não tinha tempo para ter medo, tinha que entrar lá e descobrir - Deus sabe lá como - o paradeiro de Mark e sua família.

Estava escuro dentro do casarão e tudo que Brad tinha era uma câmera fotográfica. Ele ainda poderia usar a luz que emana do ecrã para poder tentar enxergar algo, e também que ainda tinha a luz do sol à seu favor. Brad então continuou a explorar a casa, até que começou a ver uma estranha trilha de giz de cor preta. Seria o giz incomum que Mark teria comprado na Deepweb? Aquilo se parecia muito com carvão.

Brad seguia a trilha, iluminando com a luz da câmera digital. Eventualmente achava as notas de Mark pela trilha e então, notou que havia uma caixa de giz e velas que estavam na frente da porta do porão. Brad abriu a porta lentamente e, vacilante, começou a caminhar pelas escadas rumo à escuridão do porão.

Olhou para o relógio e viu que eram 18:33, já deveria estar quase de noite. Brad se esforçou para não tropeçar enquanto descia pelas escadas e quando chegou finalmente onde estaria o porão, sentiu que pisou em uma espécie de "tapete" de carne. Nisso, na total escuridão ouviu uma voz familiar:

"Brad..."
"MARK????"

Brad havia identificado a voz de Mark, mas não conseguia vê-lo. Só conseguia ver a luz da tela da câmera.

"Brad..."
"S-s-sim???"
"Posso sentir seu medo..."

A última frase de Mark fez quase que Brad entrasse em pânico. Seguiu um silêncio até que finalmente, Mark disse:

"Brad, poderia tirar uma foto de eu e minha família? Todos estamos ansiosos para isso."

Brad então, sem escolha. Empunhou a câmera tremulamente e apertou o botão para tirar a foto. Com o que tinha visto no flash foi o suficiente para seu coração disparar. Então ele continuou trêmulo e lentamente olhou para a foto que havia tirado. Brad teve náuseas e deixou lágrimas escaparem. Nisso ele ouviu a voz de Mark ao lado da dele:

"Você quer saber o que eu encontrei no centro da Deepweb?"

Brad estava soltando murmúrios, se esforçando para não gritar.

"Uma maldição Brad. Uma maldição lançada pelo próprio. Mesmo sabendo que era ele e do que poderia achar no centro da Deepweb, eu não estava com medo... Levou pouco tempo para eu entender. Sabe qual era a maldição lançada sobre mim?"

Brad continuou quieto. A voz de Mark estava mais perto do ouvido dele e parecia mais fria.

"Eu nunca mais poderia sentir medo. Por isso, em desespero comecei a procurar maneiras de sentir medo, mas nada me afetava. Antes eu achava isso algo bom, mas quando ele começou a me visitar tudo começou a ficar pior... Ele se aproveitou de minha nova fraqueza e fez eu matar meus parentes e meus amigos. Sim Brad, toda essa carne que você viu neste porão, é a carne de nossos conhecidos e é hora de você se juntar a eles."

Brad começou a gritar de horror, começou a correr e subir as escadas. Então, quando olhou para cima viu um homem que olhou com seus olhos vermelhos para o rosto de horror de Brad. Ele deu um sorriso e fechou a porta. Ele bateu várias vezes na porta, implorando para que abrissem, e então ele sentiu algo cortando a barriga dele. Assim ouviu a voz de Mark:

"Pronto para conhecer onde os pecadores moram?"

----

Portal de Notícias, 12 de outubro de 2007

Hoje a polícia acabou encontrando o corpo de Mark Hills em um casarão abandonado das redondezas de Redville, Montana. O adolescente que estava desaparecido à meses, só foi achado após seu amigo, Brad Joann ter desaparecido em uma sexta-feira, um mês atrás. As equipes de busca teriam achado um dos pertences de Brad em uma antiga trilha até o casarão, onde acharam uma trilha de algo que parecia carvão até ao porão da casa onde estava o corpo de Mark.

O delegado de Redville, Sr.Hilson declarou que o corpo de Mark foi achado carbonizado e foi achado com um cutelo, junto com o que parecia carne.

"Havia tanta carne naquele porão que tinha até mesmo na parede! Não sabemos nem quem fez aquilo, pois deveria ser ou muito sádico ou inumano" Acrescentou Hilson.

As suspeitas vão para Mark que agia estranho alguns dias. O que os policiais acharam foram os pertences de algumas pessoas como a câmera digital de Brad e a carteira do pai de Mark. Não há conclusões sobre a morte de Mark. Acreditam na possibilidade de um suicídio, embora as marcas e cortes no corpo de Mark sugerem homicídio.

O caso foi arquivado. Mas foi achada uma foto peculiar na câmera digital de Brad:



Será que você está com medo? Acha que é apenas mais uma história boba? Talvez você conheça Mark algum dia e possa perguntar a ele... Pessoalmente.

Sentir medo é humano. Se você se quiser livrar dele ou querer mascará-lo, lentamente as consequências virão e lentamente você perderá a humanidade.

Rodrigo Blockman

Written by

We are Creative Blogger Theme Wavers which provides user friendly, effective and easy to use themes. Each support has free and providing HD support screen casting.

9 comentários:

Luis disse...

essa foi ótima,assustadora

Anônimo disse...

kkk confesso que ri um pouco rsrsrs...

Meio ridiculo... Verdade? quem sabe?
Primeiramente aquilo na foto é uma cabeça de porco, o que não condiz muito bem com a historia, mas deixando isso de lado...
Que criou isso tem uma imaginação boa =DDDDDDD

Luis disse...

tem muita imaginação mesmo,e muito boa

Blockman disse...

A melhor coisa do terror é que algumas coisas não devem ser explicadas. Mas o que o mercadinho tem a ver com a cabeça do porco?

Anônimo disse...

kkkkk boa

Blockman disse...

Aconteceu algo com a imagem... Vou procurar por outra e postar auqi de novo

Joiih disse...

Procure no google images por 1282323749629.jpg

Anônimo disse...

carai q medu

JaMal' disse...

pode postar a imagem??

Total de visualizações

 
Powered by Blogger