sábado, 9 de outubro de 2010

Tigre da Tasmânia considerado extinto reaparece!

O Tigre da Tasmânia é um marsupial carnívoro que era considerado extinto a mais de 67 anos. Tinha o tamanho de um cachorro grande, com listras na parte de traz do corpo. O que caracterizava esse diferente animal, era a bolsa que a fêmea possuia, como os marsupiais (cangurus, gambás, etc).


Esta espécie foi extinta antes que pudesse ser estudada em profundidade, para que você não sabe realmente o que as suas técnicas de caça, mas não assume o que ele fez pelo olfato e audição. Em 1830, já há sinais de que paga recompensa para cada tilacino morreu, pela empresa Van Diemen Co, mas foi exatamente em 1888, quando começou a campanha de destruição em massa. Mesmo o governo da Tasmânia em si foi estimulado com uma libra por cabeça de thylacine para distribuir um total de 2.180 prêmios. No ano seguinte, o tigre da Tasmânia foi declarado em extinção, e muitos jardins zoológicos queria pegar uma cópia. Zoológico de Londres pagou £ 150 para um animal. Em 1933 ele conquistou a última edição que foi trazido para a Tasmânia e morreu em 1936. Ele criou uma catedral de Zoologia, com o objetivo de estudar a espécie. Desde então, apesar de avistamentos possível, ainda, como um exemplar foi morto em 1961, não há nenhuma evidência que comprove a sua existência atual, para que, em 1986, após 50 anos sem provas exigidas pela comunidade científica internacional, foi declarado extinto. Após vários estudos realizados por cientistas especularam com a possibilidade de clonagem de um tilacino. Até então, estavam ainda centenas de restos conservados em formol, mas isso não contribui em nada, porque formol destrói DNA), mas foi em 1999 quando um grupo de cientistas australianos encontraram em um frasco de tecido de um tigre da Tasmânia de 100 anos conservados em etanol nos fundos do Museu Victoria, em Melbourne. Logo, foi possível a replicação da enzima DNA, mas por razões desconhecidas, o governo australiano, que havia financiado o projeto, parou de fazer pesquisa.


Em maio de 2008, conseguiu retomar a investigação. O plano era para inserir o gene COL2A1 em um feto de rato de duas semanas, a fim de retomar o estudo de uma espécie que não existe mais, como a biologia eo teste da droga seus possíveis usos. A pesquisa tem sido um sucesso, uma vez que este DNA recuperado controla a geração e desenvolvimento de cartilagem e osso. Isso demonstra que há esperança para a diversidade genética desta espécie, como explicou o pesquisador Marilyn Renfree da Universidade de Melbourne.


Video desse animal!





Vendo esse video com essa musica de fundo, me deixou muito triste :(

5 comentários:

badekofenix_ disse...

é interessante,realmente extraordinario,

Anônimo disse...

Puxa, uma pena isso
Com a música de fundo do vídeo me deu dó!

David disse...

Queria muito que tudo desse certo pois iria ficar super feliz com isso tenho 31 anos e quero muito ser biologo, vendo o video me motivol mais ainda mas acredito que exista ainda, o planeta terra é enorme tem muitas partes que ninguem nunca passou meus abraços e boa sorte a todos dessa maravilhosa equipe.

Anônimo disse...

amigo ja foi procurado nos dois locais que havia na tasmânia em nova guine nao tem como existir mais, acredito que irão conseguir clonar futuramente...e uma especie magnifica fico torcendo por isso! e espero um dia poder ver viva novamente,

Flavia Tavares disse...

O Humano é o animal mais terrível que exite na face da terra.