AD (728x90)

domingo, 25 de setembro de 2011

Amor (creepypasta)

Aqui está um creepypasta que eu traduzi. Sou novo postador do blog e postarei alguns creepypastas aqui!

Chamar isso de uma história assustadora seria um insulto, porque não é essa a intenção. Esta é uma expressão de gratidão com um amigo, um amigo que estava sempre ao meu lado por mim. Ele cuidava de mim quando eu estava crescendo e era o melhor amigo que qualquer criança poderia ter.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

O amor...

Isto não é para assustar ninguém.

Chamar isso de uma história assustadora seria um insulto, porque não é essa a intenção. Esta é uma expressão de gratidão com um amigo, um amigo que estava sempre ao meu lado por mim. Ele cuidava de mim quando eu estava crescendo e era o melhor amigo que qualquer criança poderia ter.

Mesmo se eu não reconhecer no momento.

Ele estava sempre lá, mesmo eu não podendo ver, e ele estava sempre atuando em meus melhores interesses, mesmo que eu não conseguisse entender. Eu gostaria de levar algum tempo para compartilhar com vocês a nossa história, porque se você tiver sorte, você pode ter um amigo como este também.

Acho que eu deveria deixar ele ler sua primeira carta. Em maio de 2010, eu comprei um computador novo e peguei ele na loja. Eu trouxe o computador para casa nova e tinha começado a restaurar meus arquivos do disco rígido portátil e programas de reinstalação, quando
notei que havia um arquivo no Misc. pasta que o técnico da loja havia criado para arquivos com nenhum outro lugar. Foi chamado "HappyBirthdayBaby.txt".


Inicialmente eu pensei que era uma mensagem que minha mãe havia escrito para mim e que eu nunca tinha lido como se pretendia, mas abri o arquivo, e é isso que eu encontrei.

Você pode achar isso um dia ... Eu não sou muito entendido com computadores, mas eu vi você mexer com essa máquina recentemente, e eu acho que sei como salvar isso para que você encontre. Vendo que é hora de partir, eu quero deixar esta última mensagem.


Eu sei que você nunca conheceu seu pai, mas para mim ele era o coronel Marcus Andrew Stadtfleld, como tenho certeza que sua mãe lhe disse. Ele era um bom homem, com o orgulho de um leão, a força de um urso e um coração de ouro puro. A verdade é que eu era quase como seu filho, muito antes de você nascer. Eu era o segundo no comando e servi para ele por três anos.


Vi sua mãe chorar quando ouviu a notícia, a barriga inchada com a sua "estréia" para este mundo, e eu fiquei com ela a cada segundo de cada dia. Até o dia em que veio você ao mundo, então meu foco mudou para você.


Eu vi como eles a limparam e entregaram a sua mãe, e ela parecia olhar diretamente para mim com um olhar de que sabia que eu estava lá e que estaria disposto a apostar meu último centavo em você. Eu assisti você crescer e eu lembro de tudo, mesmo as coisas que você não se recorda. Você sempre foi um bebê tão feliz e você parecia ter herdado do seu pai o senso de humor. Quando você estava começando a ter 4 meses de idade, você faria de tudo para dificultar as tentativas de sua mãe a trocar suas roupas, rindo o tempo todo. Você tinha um coração selvagem, assim como hoje.


Assim como Marcus.


Quando você tinha cerca de 6 meses de idade começou a brincar comigo o tempo todo. Tivemos uma brincadeira em particular, onde eu fazia cócegas em sua barriga. Você adorava, mas quando sua mãe começou a perceber algo de errado ela sempre ficava perplexa pelo motivo de você começar a chorar de repente, depois de um tempo, ela parecia pensar que você não gostava dela, que é quando eu percebi eu tive que recuar um pouco.


Quando você tinha um ano de idade parecia desenvolver um sexto sentido e embora você não pode realmente me ver tanto ou tão bem, você sabia que eu estava lá. Eu não poderia brincar com você tanto quanto antes, porque eu sabia que só iria prejudicá-la, mas eu sempre mantive a guarda. Você até tinha uma forma de testar a minha presença, você jogava brinquedos para o canto do seu quarto onde eu estava e depois esperava para ver se eu ia brincar com eles. Eu sei que você não vai se lembrar disso, mas uma vez que você jogou um urso e um boneco para mim, e como sua mãe estava ocupada na cozinha fazendo o jantar, eu fiquei despreocupado, começando um pequeno show. Não foi nada especial, só os fiz dançar um pouco. Você estava rindo alto e sua mãe entrou para ver o que era tão engraçado, mas quando ela viu, ela não estava rindo. Se quiser perguntar para a sua mãe sobre esse episódio, é melhor não perguntar algo relacionado ao fato de "os bonecos dançarem". Eu acho que seria mais gentil perguntar se você já jogou os brinquedos para o canto, que não é uma memória tão ruim para ela quanto a dança.

Você se lembra de sua primeira palavra? Era... "Amor". Hahah. sua mãe te fez um bem danado se você soubesse o quanto ela te ama, cada momento de cada dia ela sempre dizia "te amo, bebê ..." Eu lembro de você causou um espanto terrível nela quando sua mãe estava colocando roupas em você no banheiro. Você parecia ter visto o meu reflexo no espelho atrás dela, e você apontou e disse "Amor" (bem, falou isso quase como em um murmuro, mas sua mãe sabia), e ela riu e afirmou isso. Foi sua única palavra por um tempo, mas como eu saí da reflexão que você começou a ficar inquieta e eu sabia outra vez que eu tinha que ser mais furtivo. Você estava crescendo mais e mais a cada dia agora, e eu não podia dar ao luxo de quebrar a promessa que seu pai, razão pela qual eu teria de recuar mais uma vez.

Eu quebrei as regras muitas vezes para protegê-la, a promessa de seu pai era tudo para mim. Eu me lembro de quando você tinha 3 anos e já sabia andar, você era uma grande corredora, hahah. Aprender a andar era algo inteiramente novo para você e você não era tímida de ficar parada. Queria explorar o mundo por inteiro. Um dia você estava com sua mãe no mercado, e você viu uma senhora com uma bolsa brilhante. Você saiu correndo atrás dela, assim como um outro cliente estava saindo com seu carro em frente a ela, vinda do outro lado. Ela não sabia o porquê de você estar correndo atrás da bolsa e o motorista ia te atropelar. Tive que quebrar as regras para te proteger, e te empurrei. O carro continuou a seguir e a mulher de bolsa deveria ter me visto, ela gritou "UM HOMEM DE UNIFORME!". Você simplesmente riu enquanto a multidão reunida e sua mãe veio correndo. Quando ela descobriu que estava sã e salva, você apontou para o carro do motorista que quase te atropelou. Você sabe o que disse a ela então? "Amor, mamãe". Eu estava escondido até então, com vergonha de ter criado uma cena, embora eu tenha que admitir que eu estava rindo por dentro.


Você cresceu e tornou-se mais consciente, e eu finalmente soube quando eu podia e não podia intervir. Se eu intervisse demais isso faria mal a nós dois, então eu escolhi meus momentos com cuidado. Você era um esperta, tal como o seu pai, e na maioria das vezes sabia como lidar com toda e qualquer situação. Se houvesse uma opção, você tomava. Embora dava alguns "escorregões" algumas vezes, você estava crescendo, eu acho que fez bem em manter um olho em você. Foi apenas as pequenas coisas para tornar sua vida um pouco mais fácil, coisas que você provavelmente não vai lembrar, como colocar suas folhas de música de piano em sua mochila durante a noite, desligando a televisão quando você dormia, puxando as cobertas em cima de você nas noites mais frias, fechando suas gavetas, definindo o seu despertador, fechando as janelas e portas ... Você me pegou fazendo uma ou duas destas coisas, algumas vezes, e eu quero aproveitar agora para pedir desculpas por assustar você. Uma vez estava fazendo sua lição de casa e você dormiu em sua mesa, então eu preenchi todas as respostas para o seu teste de matemática. Como o professor era rigoroso com a lição de casa e eu sabia que você sabia as respostas de qualquer maneira, você ainda suspeitou mais do que nunca quando você acordou e descobriu que toda meia folha que deixou incompleta foi feita . Você era mais velha e tinha esquecido que éramos amigos, coisas que você viu na mídia sobre fantasmas assustaram você, e você tinha todo o direito de ter medo. Eu só quero dizer que sinto muito. Eu nunca quis fazer você chorar. Se eu tivesse tido um pouco de cuidado extra para que você nunca tivesse me conhecido. Eu só queria mantê-la segura e feliz.


Você amadureceu e começou a tomar forma de uma mocinha e, como tal, você começou a conhecer o mal dos homens. Se você tivesse o juízo... Você sempre foi de correr riscos, e cuidar de você se tornou algo mais rigoroso. Aos poucos, eu tive que me expor mais e mais, observando os rapazes com quem você saía, observando eles na casa deles. Mas naquela memorável noite, quando o rapaz mal que você trouxe para casa começou a falar com você. Sua mãe estava no trabalho e embora eu sabia que não era hora de eu intervir, você ainda era apenas uma menina, apenas 15 anos ... Quando ele subiu em cima de você e começou a despi-la, pegou sua blusa e começou a sussurrar as palavras doces, seu rosto já dizia tudo. Você estava com medo. E quando você disse para ele parar e ele não quis, e quando você tentou empurrá-lo fora e ele ficou bravo, quando ele te bateu e, finalmente, tentou colocar sua mão acima de sua saia, todo o mal que eu mantinha dentro de mim estava livre naquele momento e era algo que eu não podia controlar. Minha raiva transbordou quando comecei a rosnar, as luzes piscando, o volume crescente da TV, as portas e janelas batendo. As teclas do seu piano e começaram a chacoalhar com meu rugido, eu gritei: "SAIA DESTA CASA GAROTO!" Ele correu para fora da sala e você tentou seguir ele, mas eu bati a porta na sua cara e não deixei a alça virar até sua mãe chegar... Estou tão triste criança, aquela coisa toda traumatizou você por um tempo... Você se tinha medo de mim mais do que nunca, essa experiência... E eu sabia que a partir de então no tanto que eu te amei, nunca mais poderíamos ser amigos. Não depois do que eu tinha feito.

Algumas noites você costumava sentar-se acordada até tarde da noite, olhando para mim, e eu teria que sentar no canto mais escuro, olhando de volta para você, incapaz de assegurar-lhe que eu não estava aqui para prejudicá-la. Você gritava "Eu te odeio! SUMA! ME DEIXE EM PAZ!" E assim, como quando você costumava fazer quando criança, jogava coisas para o canto do quarto, só que ao invés de brinquedos para eu brincar, desta vez foram pesados livros, caixas de CD, qualquer coisa que suas mãos podiam alcançar para me fazer movimentar. Você costumava sentar-se em sua cama vigiando aquele canto ... Eu sempre me senti terrível sobre o que eu fiz. Eu quase quebrei a promessa que fiz a seu pai, mas mais importante, eu quase quebrei a promessa pessoal que havia feito com você.

Foi assim até a noite que você tentou fazer as pazes comigo, naquela noite que você se sentou em sua cama e disse: "Se você está aqui, me desculpe, você estava apenas tentando impedi-lo ..." Eu queria dizer algo, mas eu não podia, mesmo nervosa você continuava "Você está aqui certo? Você poderia me mostrar um sinal?" Eu queria tanto fazer algo, qualquer coisa para mostrar que eu estava lá e que eu tinha ouvido isso, mas temendo que eu iria perdê-la se fizesse isso, eu fiquei em silêncio e apenas balancei a cabeça, naquele canto escuro onde você não poderia me ver... Você tem que saber que eu nunca estaria bravo com você, você era apenas uma menina e estava um pouco assustada... Prometa que nunca vai fazer algo assim novamente, não vai?

É hoje mesmo no seu 18° aniversário, que é exatamente por isso que estou escrevendo isso para você. Eu quero desejar um feliz aniversário. Viva uma vida boa, tente não se esquecer de mim, e sei que você será uma pessoa virtuosa.

Seu pai ficaria muito orgulhoso de você.

Esta carta é o meu presente para você, e você não se preocupe com o canto mais assustador, o meu pedido final é completo. Eu não sei você, mas eu acho que comemorar com uma bebida; hahah!


Se você achar isso um dia, me chame.
Cuide-se, ser seguro, e viver uma vida feliz.


Amor,
Lt. Ashley Gilchrist.


PS. Se você chamar meu nome, chame como costumava chamar-me quando pequena, que sempre virei correndo.


Eu estava amedrontada quando li esta carta, tudo finalmente fez sentido. Todas as coisas que aconteceram quando eu estava crescendo. Eu sempre pensei que eu estava vendo coisas, até aquele dia quando o meu ex-namorado quase me estuprou. Eu vou ser a primeira a admitir que eu estava com medo dele, porque eu não entendia o que era, porque ele estava lá ou o que ele queria, mas agora eu vejo que eu estava errada.


Poucos dias depois de ler a carta, eu perguntei à minha mãe algumas sobre as coisas assustadoras que aconteceu quando eu estava crescendo. Ela era muito indiferente sobre a coisa toda, até que eu mencionei o que aconteceu no mercado. Lá, ela parou de limpar a louça, largou a toalha, virou-se para mim e sorriu. "Você sempre teve um anjo da guarda cuidando de você, querida. Eu não sei se era o seu pai ou não, mas quem ou o que quer que fosse, fazia nada de mal e sempre te protegia nas mais diversas situações." Ela se virou e continuou a limpar os pratos, então ela perguntou: "Eu acho que você se encontrou com ele, certo? Seu amigo?"


"Não exatamente, ele deixou algo para mim." Subi, trouxe o meu laptop para baixo e mostrei a carta no meu computador. Minha mãe estava chorando no momento em que ela terminou e ela me contou tudo sobre o amigo do meu pai ...


"Ele era um garoto... Marc e ele tinham uma amizade. Aquele homem foi tão leal ao seu pai, ele tinha um amor e respeito por ele que mesmo eu estava me sentindo intimidada ... Quando ele veio para nossa casa de férias, Marcus quase teve que mandá-lo para sua casa, e ele mesmo entrou no exército só para acompanhar seu pai. Ele olhou para Marcus quase como um menino olha para seu pai. Eu realmente não sei o seu passado, mas eu me lembro do seu pai dizendo que ele era um bom parceiro, um bom soldado, e um amigo inestimável. "


Ela respirou fundo e engoliu algumas de suas lágrimas antes de continuar.

"Eles descobriram que havia um menino pobre e seu pai sozinhos em um prédio que havia sido invadido por terroristas. Eles tinham sido mandados para reconhecimento, e sua equipe se separarou quando eles ficaram sob fogo. O resto dos garotos na equipe de seu pai sobreviveu, mas os dois não tiveram a mesma sorte ... A maneira que eles se encontravam foi peculiar ", ela soluçou um pouco, me olhou bem nos olhos e disse:" Aquele menino foi encontrado em abraçando seu pai, crivado de balas ... ele estava protegendo-o até o momento em que ele morreu. Ele poderia ter escapado, mas ele se recusou a deixar o seu pai ferido de lado. "


Estourou tanto em lágrimas ... O amor. Isso é exatamente o que ele era. Ele era um guardião. Eu nunca tinha tido qualquer razão para ter medo dele, e eu daria qualquer coisa só para dizer que sentia muito e que eu o amava de novo. Eu não tinha o direito de ter feito todas aquelas coisas terríveis que eu fiz para ele no final, eu percebi, e percebi que ele amava o meu pai assim tanto que nem mesmo a morte poderia impedi-lo de que a promessa que ele tinha mencionado na carta fosse cumprida. Quando perguntei que promessa foi, minha mãe olhou para mim e com lágrimas nos olhos disse: "Foi feito nesta casa enquanto eles estavam construindo o seu quarto, era apenas..."


"Não importa o que aconteça, prometa que vai cuidar de minha filha."

Written by

We are Creative Blogger Theme Wavers which provides user friendly, effective and easy to use themes. Each support has free and providing HD support screen casting.

2 comentários:

rex disse...

linda perfeita umas das melhores que ja li ao espera umas das melhores historias que eu ja li perfeita

Bunny disse...

Foi simplesmente a história mais linda que já li até hoje. Terminei ela em lágrimas. ):

Total de visualizações

 
Powered by Blogger