AD (728x90)

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Internet: Um circo de horrores

 
{UPDATE!
A versão postada aqui, é uma versão mais simples. Apenas com a parte inicial. Mas como a galera achou pouco, vejam o vídeo todo então ^^: www.putridsexobject.com}
  E aí galera, beleza?
 
     Inicialmente, eu gostaria de deixar claro que as palavras e advertências a seguir são minhas. Eu, Augusto Victor, vi algo que pode fazer até os usuários mais sangue-frios vomitarem.

     Lá estava eu, utilizando uma rede social como qualquer outro ser humano, e me deparo com um link vindo de meu colega. O link para um vídeo. Aliás, não "um vídeo", e sim, "o vídeo".
     E como de costume, já que frequentemente via material " pesado'' por meio destes link's, cliquei.( OH GOD WHY) E foi neste momento, que me arrependi.

     O vídeo, que começa com algo semelhante (de certa forma) ao 'obedece a la morsa', toma um rumo que me deixou tremendo. Sem exagero. Eu declaro que aquilo é a pior coisa que eu já vi na internet. A PIOR!

      Ainda neste ponto da postagem, eu me pergunto se devo postar o link. Por que deveria?
      Mas quando penso melhor, vejo que o título 'Estranho Universo' se adapta perfeitamente na situação.  E os leitores deste incrível blog estão dispostos a ver aquilo.Mas antes do link, vamos deixar claro:

*Certifique-se de que não sera flagrado assistindo. Isto chocaria sua família/Amigos/Mulher/Homem.

*Certifique-se de usar a navegação anônima. Por que, se por algum caso, as pessoas que moram com você assistirem aquilo, você será deserdado.

*Eu não estou obrigando ninguém a ver aquilo. Aliás, eu nem recomendo. SÓ CLIQUE SE VOCÊ FOR MUITO FORTE!

*Mantenha o balde a sua esquerda...

*Se não for ver, não clique. E se começar, veja até o final.

O site original do vídeo já se foi da internet, mas alguns domínios ainda o tem. E bem, eis o link: http://www.bizarremag.com/news-and-videos/weird-videos/5902/putrid_sex_object.html

N/T: Esta versão só tem o mais básico de tudo. Vão encarar?




Acesse Também: Augustos World

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Abatedouro



"O que nos difere dos animas? Dos outros seres?". Alguns filósofos ocuparam-se de sua questão, algumas vezes, dedicando ensaios apenas a essa simples - porém, complexa - pergunta.

E convenhamos, nunca houveram tantas respostas que confundiram nossas cabeças: alguns apontam que o ser humano é o único animal capaz de racionalizar. Outros dizem que somos tal como os outros animais. Alguns falam que nós somos os únicos seres vivos capazes de manipular a natureza a nosso favor, enquanto outros apontam que o caos é o melhor e o único destino para a humanidade.

Entretanto, nenhuma dessas respostas são plausíveis. O que os difere é alo que chama-se "Esperança".

Um boi no abatedouro não sente esperança, pois não consegue entender o que está acontecendo lá - e  mesmo que soubesse o que estaria acontecendo, sua reação seria domada pelo instinto de auto-preservação, algo que não é a "esperança" propriamente dita.

Agora, um ser humano em um abatedouro é outra história.

Como pode-se perceber, apenas seres racionais puderam desenvolver e representar tal sentimento tão complexo para nossos amigos animais. Entretanto, podemos dizer que a esperança não se passa de algo que evoluiu a partir dos "instintos" de auto-preservação e que se funde com outras coisas: otimismo e determinação. A certeza de que algo irá acontecer, mesmo que as probabilidades sejam inferiores a 1%.

Tão estúpido.

Ver a esperança como algo bom é a grande ruína do humano. Você não entende como me sinto ao ouvir as pessoas falando sobre isso. Sobre nossa maldição.

Sim, nós somos amaldiçoados. Para ser mais exato, fomos criados e programados para sentir a esperança. Somos nada mais que alimento para outros seres... Seres de outro plano que  esperam ansiosamente pelo seu alimento. Desse ponto de vista, não somos tão diferentes de bois num abatedouro, não é?

Você já pode ter notado em seu grupo de amigos ou então ao decorrer da vida que existem vários tipos de pessoas e que cada uma pensa respectivamente de uma maneira diferente, correto? Errado. De um ponto de vista geral e simples, existem três tipos de maneiras de ver a vida, cada uma delas torna mais fácil diagnosticar quanta esperança nós temos - e dessa formas, os seres extra-planares saberão quem está pronto para... Como nós dizemos? Partir.

As pessoas que pensam no presente são as mais comuns. Geralmente, seu nível de esperança é estável e raramente interessam Eles. Podem ser comparados com vegetais que não madureceram ainda. Mais tarde ou mais cedo, acabam partindo sem que Eles tomassem algum esforço para tal, por isso, geralmente tomam uma visão do mundo previsível: vivendo uma vida boêmia, vazia ou lenta. Como não têm expectativas para o futuro - e a esperança está profundamente ligada a isso - suas alma são apenas aperitivos. Alguns que caíram nas drogas e em outros vícios ostentam de uma alma apodrecida que Eles não tem interesse, deixando-os para serem devorados por seres extra-planares de nível inferior.

A segunda visão de mundo é a que trata do passado. Os indivíduos que desistiram de um futuro melhor e que vivem tentando afogar-se em seus antigos amores, dias de glória e felicidades. No  geral, não aceitam o presente e suas esperanças em tentar recriar o passado são tão grandes que fecham-se em um mundo só deles, pouco a pouco perdendo a sanidade e perdendo a vontade de viver. Usando a metáfora do abatedouro, seriam os bois que perceberam o que acontecia, tentaram pular as cercas e, frustrados por não conseguirem, correram para o abatedouro para diminuir sua agonia. Suas almas são corroídas por dentro e partem sem demora. Entretanto, Eles não gostam delas: são fracos.

A terceira e última se trata do futuro. Eis aqui um dos poucos indivíduos que Eles consomem, que apenas os  Elevados desejam. Entretanto, nem todos que olham para o futuro possuem as almas que Eles desejam: os ambiciosos, que usaram os outros como degrau para atingir o objetivo tão almejado possuem a alma apodrecida por dentro e os que sempre olharam para o futuro com medo, possuem almas pequenas e covardes.

Por fim, só restaram as pessoas otimistas e virtuosas. As que possibilitam que a "safra" saia como Eles queiram.

Isso mesmo, os reais demônios são os que enchem os outros de esperança. Mas não os culpe - os otimistas fazem isso involuntariamente. É como uma bala dentro de um revólver. Ela é o que mata, mas não é considerada o agressor. Afinal, a intenção da bala é apenas ser ejetada. O que conta mesmo é a intenção de quem puxou o gatilho.

Como se cria um otimista? Primeiro, dê tudo o que ele deseja logo que nasce. Pode fazer isso dando fortunas e felicidade durante a infância ou a adolescência. É um processo muito longo que compensa no final. Depois, tire tudo isso dele. Tire o que ele considera mais importante em sua vida.

Ele estava apaixonado? Dê um fim trágico ao seu amante. Ele finalmente conseguiu dinheiro para a faculdade? Faça uma doença surgir em alguém de sua família para que ele use o dinheiro. Ele é feliz? Ponha em sua consciência motivos para se sentir triste.

Tudo isso para que, quando o evento-chave ocorrer, o indivíduo seja povoado pela esperança - e assim, passe a desejar um futuro melhor.

Ele transmitirá sua mensagem com empolgação aos outros indivíduos, os outros dirão "se ele conseguiu, eu consigo!" e estarão fadados a serem alimentados com a esperança. E a esperança é a importante ferramenta que desenvolve as virtudes, a benevolência e a pureza que Eles tanto gostam. A doçura da alma dos esperançosos supera todos os prazeres que uma vida terrena já pôde experimentar.

Conhece alguém assim? Algum otimista que, com empolgação e paixão fala de seu futuro? Fala sobre a luta por um objetivo? Para um sentido em sua vida?

Quando ver esse sujeito, evite que os planos deles se cumpram. Estraçalhe com suas palavras os sonhos dele. Negue suas expectativas. Use da razão e das probabilidades para impedir que sua palavra se prolifere - e assim, você poder salvar os outros.

Vão te chamar de "gelo-seco", de "coração-de-pedra" ou até mesmo de "insensível" ao fazer isso com os outros (especialmente com as crianças). Mas, no outro lado, eles irão te agradecer. Quando descobrirem a terrível verdade. Que não existe esperança. Não existe sanidade. Não existem humanos e animais, apenas animais de almas suculentas e animais de almas podres. Não existe fuga. Não existe luta. Não existe resistência.

Só existe o abatedouro, no final do corredor... E uma verdade.

A de que a esperança é a última que morre.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

US Creepypasta: Ela precisa de mim


E aí galera, beleza?
  Prosseguindo com a campanha, a creepypasta da vez é do leitor Gabriel Azevedo. E lembrem-se, para participar, enviem sua creepy para: augustovic3@gmail.com .
N/T: Eu não edito as creepypastas  que recebo. Eu acho que isto tira um pouco de sua essência. Porém, alguns erros  de português serão encontrados, ignorem.  ^^




ELA PRECISA DE MIM

Hoje faz um mês que tudo começou, sempre vou me arrepender de ter aberto aquele caderno se vocês não entenderam ainda vou contar oque aconteceu.
Tudo começou num tarde se sábado eu estava no facebook quando três amigos meus me chamaram do lado de fora da casa
-GABRIEÉÉÉÉL ATENDE VAGABUNDO
Eu me levantei e fui checar a La estavam eles meus colegas de classe, me perguntaram se eu queria sair com eles pra zoar um pouco,eu aceitei,vesti uma bermuda montei na minha bike e fui. Foi a pior decisão que eu tomei em toda a minha vida,em pouco tempo chegamos em um velho parque construído para as crianças na época que aquele lugar ainda tinha algum morador,ficamos lá conversando fazendo piadas, até que um dos meus amigos que se chama Breno disse a seguinte frase
-véio, que bagulho é aquele
E apontou para alguma coisa enterrada com uma ponta preta pra fora da areia, fomos nós quatro como plenos adolescentes idiotas e curiosos,desenterramos e vimos um caderno totalmente preto eu peguei abri e começamos a folhear o caderno a principio era um caderno normal com matéria escolar e tal mas depois de algumas paginas acabou a matéria e começou a aparecer algumas rosas vermelhas e varias vezes a frase”PRECISO DELE” ou “NÃO POSSO VIVER SEM ELE” e varias coisas do tipo achamos que era alguma pirralha com uma paixonite aguda que jogou o caderno fora porque não dava mais pra usar ou coisa assim, isso deveria ser cerca de 6 horas da tarde, nos pegamos a bikes jogamos o caderno no chão e fomos embora. Na segunda-feira apenas dois dos meus amigos estavam na sala de aula, eu perguntei se eles sabiam oque tinha acontecido eles arregalaram os olhos pra mim e disseram
-Você não se lembra?
Quando eu respondi que não foi que começou a ficar estranho eles disseram que dormiram na casa desse que avia faltado a aula, Luciano era o nome dele mas cerca de três horas da manha alguém chamou na porta e quando eles foram atender acharam que fosse eu mas quando ele chegaram perto os olhos do suposto eu estavam totalmente negros ele invadiu a casa tentou mata-los mas não conseguiu porque o a irmã mais nova dele ligou para a policia quando viu a briga dois ficaram bem mas o outro tinha varias marcas de faca em seu peito ele estava vivo mas nesse momento estava no hospital, depois disso foi um dia normal mas no dia seguinte uma noticia muito ruim chegou a mim, ele avia morrido, em uma noite esfaqueado e na outra morto, mas não foi algo por causa das facadas, alguém entrou no hospital de noite e cortou a garganta dele. O funeral foi no final de semana daquela semana após o funeral ficamos muito tristes já que ele era um grande amigo mesmo sendo muito instável e impulsivo depois de um tempo os meus dois amigos que ainda estavam vivos chegaram na escola com marcas de faca, não eram graves eram até pequenas e fracas mas formavam o desenho da mesma rosa que estava naquele caderno. Eu sou um pouco pirado com esse tipo de coisa então estranhei que não avia acontecido nada comigo já que eu fui o que teve mais contato com o caderno por ter sido o único que tocou e abriu o maldito caderno no final do dia eles me convidaram pra dormir na casa deles de sexta pra sábado eu aceitei e na sexta preparei minhas coisas e fui com eles, de noite eles quiseram virar a noite acordados mas eu tenho sono pesado e acabei dormindo no dia seguinte acordei com o rosto sujo de sangue. Fiquei paralisado com a cena, o menor de nos e mais fraco estava morto com um buraco no peito e seu coração em sua boca, Enrique era o nome dele o funeral aconteceu na semana seguinte durante o funeral eu fiquei confuso, dois mortos mas antes torturados,já faziam três semanas que tínhamos achado o caderno, eu já deveria ter entendido mas não avia mas escapatória, pelo menos para eles três no dia seguinte ao funeral eu acordei com o alarme do meu celular e ao lado dele eu vi uma faca suja de sangue. Nessa hora eu pensei que estava condenado, como eu queria estar certo eu sai e liguei a TV já que pela morte dos dois nosso coordenador mandou que ficássemos em casa, estava passando o jornal local que estava falando da morte de duas famílias inteiras, ironicamente era a família dos dois garotos mortos, enquanto eu ouvia isso encarava a faca suja de sangue. Coloquei a faca numa mochila e fui até a casa do meu ultimo amigo vivo, Breno era o nome dele, quando ele atendeu eu entrei e mostrei a faca e contei oque eu tinha visto na TV, pra minha surpresa na casa dele também aviam visto a reportagem então veio o verdadeiro susto, testemunhas e vizinhos viram o assassino e fizeram um retrato falado que foi exibido na reportagem, não sei porque mas eu fiquei feliz quando vi meu rosto como a descrição do assassino, pus o capuz montei em minha bike e fui pra casa, meus pais estavam preocupados pelo fato de eu ser suspeito dos assassinatos já eu nem tanto depois disso me confinei no meu quarto até o final de semana e só sai ontem de noite quando peguei a mesma faca e sai pela porta exatamente a meia noite, então fui bombardeado pelas lembranças de quando matei aqueles que chamei de amigos e mais algumas sobre uma garota,as lembranças ainda estão aqui mas eu estava fora de mim eu só lembro de ter ido até a casa do garoto que um dia eu chamei de amigo matar silenciosamente toda a família dele ir até ele e antes de mata-lo dizer a seguinte frase”ELA PRECISA DE MIM”hoje acordei pensando que foi um pesadelo até que falaram sobre o acontecido na TV quando descobri que tudo foi culpa minha uma carta apareceu na minha frente, eu a abri e li, parece que durante minhas andanças noturnas eu troquei cartas com uma garota que dizia me amar e perguntava se eu já avia me livrado “DELES” agora acabo de responder a carta e incendiar minha casa com minha família dentro, já estou com minha bagagem e estou partindo, mas ficou o problema: um garoto como eu posso ser robusto e intimidador mas ainda sim não posso ir sozinho, por isso estou com dois novos amigos comigo, um homem grande e magro de roupa social e um adolescente sorridente,eles prometeram me levar se eu prometesse não revelar suas identidades e os ajudasse, eu concordei e agora estamos andando em direção a ela
-PORQUE ÉLA PRECISA DE MIM

Augusto Victor

Acesse Também: Augustos World

Total de visualizações

 
Powered by Blogger